Produções

Estimulação Cognitiva em Alunos Idosos Portadores de Prejuízo Cognitivo na Oficina da Memória® na UnATI/UERJ.

 

Autores:  Lavrador, M. L.; Pimentel, D.; Bonisolo, A.;
Bernardo, A.; Lauria, J.; Guerreiro, T.

 

Intervenções que amorteçam o declínio cognitivo e promovam bem estar em idosos portadores de prejuízo cognitivo são de grande relevância. Neste trabalho, é relatada a experiência de Terapia de Estimulação Cognitiva desenvolvida pela Oficina da Memória® em idosos encaminhados pelo Ambulatório de Memória do Núcleo de Atenção ao Idoso na UnATI/UERJ.

Objetivo: Promover a expressão de capacidades residuais através de estimulação cognitiva, afetiva e motivacional, a fim de contribuir para manutenção da funcionalidade e da qualidade de vida.

Metodologia: O trabalho é desenvolvido em grupo aberto, contínuo, com média de 10 idosos. Os encontros são semanais, com duração de 90 min. É realizada uma avaliação prévia ao ingresso no grupo e ao final de cada ano letivo que consiste em uma entrevista semiestruturada e na aplicação de testes e escalas (MEEM, EDG, teste do relógio, desenho de figura humana, bem estar subjetivo e Lawton). O grupo é formado principalmente por mulheres com idades de 71 a 89 anos e com 1 a 16 anos de estudo. Todos apresentam prejuízo cognitivo que varia de um possível CCL a um quadro de Síndrome Demencial em estágio inicial/moderado. As doenças mais prevalentes no grupo são depressão e HAS, sendo a fragilidade física e/ou emocional uma característica comum. As aulas exploram temas variados pertinentes à realidade do grupo, com dinâmicas e apresentações em multimídia e seguem as seguintes etapas: acolhimento com orientação espacial e temporal; revisão dos nomes; trabalho de consciência corporal e coordenação motora; memória de longo prazo (MLP) recente ex: notícias da semana; introdução do tema com resgate de MLP remota; atividade principal com jogos e exercícios variados; encerramento com tarefa para casa relacionada ao tema tratado.

Resultados: Foi descrito um modelo de trabalho contínuo que agrega idosos frágeis, com idade, condições clínicas e níveis de escolaridade variados. Observa-se fortalecimento das capacidades de interação social, melhora no humor e interesse pela vida.

 

VII Congresso de Geriatria e Gerontologia do Rio de Janeiro
30 de outubro a 2 de novembro 2013

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *